FOCO, UM DESAFIO DA ATUALIDADE

Você tem dificuldades de se lembrar o que alguém lhe disse há poucos minutos? Já se sentiu no piloto automático quando, por exemplo, dirigia-se para casa, absorto em seus pensamentos e sem se recordar posteriormente do que aconteceu no caminho? Sente dificuldades em manter uma conversa sem checar seu smartphone a cada minuto?

Se sua resposta foi sim para algumas das perguntas feitas, saiba que não está sozinho. É cada vez mais comum estarmos em estado de dispersão, desconectados do nosso corpo e do momento presente, seduzidos pela tecnologia que, a todo momento, nos seduz com uma nova mensagem ou um novo alerta.

Em seu último livro, Foco: a atenção e seu papel fundamental para o sucesso, o ganhador do Prêmio Nobel, Daniel Goleman, ressalta a importância dos líderes desenvolverem a habilidade de focarem-se, com atenção, sobre si mesmos, sobre os outros e sobre o mundo.

Segundo o consagrado autor, a atenção é a base daquilo que em liderança é essencial – inteligência emocional, organizacional e estratégica. “Líderes  focados podem comandar todos os aspectos de sua atenção. Eles estão em contato com seus sentimentos internos, controlam seus impulsos, estão conscientes de como os outros o veem, entendem o que os outros precisam que faça por eles, eliminam distrações e permitem que suas mentes vejam as coisas livres de preconceito.”

Como ter uma mente mais atenta e focada? Somos acossados por milhares de pensamentos todos os dias. Pensamentos sobre o futuro e suas incertezas, sobre o passado e suas dores, arrependimentos e lembranças, sobre nós mesmos, nossas necessidades e sobre as pessoas e o mundo.

Embora tenhamos a ilusão de escolhermos nossos pensamentos, a verdade é que a grande maioria deles são involuntários. Como joguetes, ora nos levam para o futuro, ora para o passado, sempre nos tirando do momento presente e daquilo que estamos vivendo e experimentando no agora. É importante perceber, de imediato, que cada pensamento que temos produz uma sensação. Por exemplo, cada pensamento que temos acerca do futuro pode nos deixar excitados ou aterrorizados, produzindo uma tempestade emocional como medo, ansiedade, ganância etc. Da mesma forma, se nos concentramos no passado e naquilo que ocorreu em nossas vidas, podemos ter sentimentos de culpa, arrependimento e nostalgia.

O grande problema de termos uma mente divagadora, que flutua entre o passado, que já passou e não voltará, e o futuro, que ainda não existe, é que isso nos tira a possibilidade de estarmos ancorados no presente que, em última análise, é tudo que temos. Tal atitude tira-nos a possibilidade de experimentarmos a vida em sua plenitude, de percebermos o outro e de gerarmos grande impacto com a manifestação de nossa presença.  A tragédia da modernidade é não conseguirmos manter nossa atenção focada por poucos minutos em o que quer que seja sem que voltemos a divagar sobre nossos desejos, sobre o outro, sobre o futuro ou passado.

É urgente a necessidade de desenvolvermos a habilidade de cultivarmos uma mente calma, focada e presente naquilo que fazemos. Essa habilidade não somente nos tornará líderes muito mais efetivos, mas também nos tornará seres humanos mais felizes e realizados.

A essa habilidade, de estar presente e focado, plenamente envolvido com sua atividade, ancorado no agora, chamamos de mindfulness.

Mindfulness

Nada mais é do que a consciência de estar presente no aqui e no agora, com a mente calma, focada e relaxada, atenta ao seu corpo, sensações, sentimentos e ambiente.

O ponto central acerca desse tema é lembrar que a atenção é como um músculo. E, como qualquer músculo, pode ser fortalecido por meio do correto exercício e das corretas escolhas.

A maneira mais simples para construir a atenção e a prática de mindfulness é bastante simples: quando notar que sua mente divagou, traga-a de volta ao seu ponto de foco escolhido. Por exemplo, se você está pensando sobre uma questão relacionada ao seu trabalho, um desafio a ser superado, e percebe que sua mente está divagando, simplesmente volte ao raciocínio original. Não brigue com o pensamento, não se irrite, simplesmente traga sua atenção de volta ao foco. Esse exercício, bastante simples, é eficiente e pode lhe ajudar.

Abraços,

Deixe seu comentário