UM BREVE COMENTÁRIO SOBRE A GESTÃO DO TEMPO

Como vimos anteriormente, entrar em estado de mindfulness permitirá ao líder experimentar estados mentais de tranquilidade, foco e alto desempenho. Isso também lhe abrirá a oportunidade de alcançar maior produtividade. É impressionante o tempo que perdemos com divagações, devaneios e engajamento em atividades sem sentidos.

Ao estarmos ancorados no presente, o tempo ganha outra perspectiva. Tornamo-nos atentos àquilo que estamos fazendo, perdemos menos tempo e as mesmas 24 horas parecem ganhar outra dimensão. Ao analisar a vida de grandes líderes, nunca se perguntou como conseguem fazer tanto? Claro que há várias razões que contribuem para terem atingido tamanho grau de eficiência. Tenho certeza de que adquiriram a capacidade de entrar em estado de flow, como também sei que se tornaram especialistas em fazer boas escolhas.

Sim, posso afirmar que alta produtividade está diretamente relacionada com a arte de fazer escolhas. Afinal, todos os dias fazemos escolhas relacionadas ao uso de nosso tempo. As demandas são infinitas, inúmeras são as distrações e caberá ao líder determinar onde alocará o seu tempo.

Todos nós temos as mesmas 24 horas do dia, todavia o modo como as usamos demonstra o grau de maturidade, comprometimento e acerto na escolha de tal uso. A primeira escolha que todo líder deverá fazer é se continuará a reagir ao urgente ou começará a agir sobre o fundamental em sua vida pessoal e profissional.

É característica comum dos trabalhadores deste século que estejam sob constante pressão. Prazos emergenciais, reuniões e compromissos profissionais, e-mails urgentes, todas essas demandas frenéticas facilitam o surgimento daquilo que chamo de “profissionais bombeiros”, que são os especialistas em apagar incêndios. Tão logo chegam ao escritório, começam a reagir às demandas do dia. Em regra, estão sempre muito ocupados, agitados e estressados; fazem muito, mas não produzem nada de relevante.

São os profissionais viciados em adrenalina, aqueles que chegam esgotados ao final do dia, mas que, ao mensurarem o retorno de suas atividades, percebem que foram inexistentes ou muito pequenos. O estado mental calmo e centrado permite o desenvolvimento de profissionais estratégicos, que refletem sobre aquilo que realmente é importante em suas vidas e começam a agir sobre elas. A ideia aqui é pensar como um investidor. O tempo é a moeda e os resultados representam o retorno esperado.

O líder de sucesso está sempre refletindo onde a alocação de seu tempo gerará o maior impacto, os melhores resultados, enfim, a maior satisfação. A verdade é que produtividade vai muito além de, simplesmente, fazer as coisas. Diz respeito a fazer as coisas certas, de maneira focada. A melhor maneira de mensurar produtividade é pelo VALOR que nossa atividade gera em nossas vidas. Uma produtividade extraordinária é fruto de atenção focada em atividades importantes, de decisões com alto valor e alta energia pessoal.

É cogente perceber que nem sempre aquilo que é importante é urgente! Reservar espaço na agenda para a prática constante de exercícios físicos, para desfrutar do convívio familiar, para meditar todos os dias, por exemplo. Nenhuma dessas atividades, em regra, é urgente, embora sua realização frequente produza resultados extraordinários ao longo do tempo.

Outra habilidade que uma mente focada desenvolve é a de dizer não! Como disse anteriormente, são muitas as distrações que nos chegam todos os dias. A internet, mídias sociais, um filme tarde da noite, whatsapp, são somente algumas das inúmeras formas de perdermos o foco e uma enorme quantidade de tempo. Não digo que não devemos reservar espaço para o lazer, ao contrário, mas tão somente que, se não tomarmos cuidado, essas distrações tomarão boa parte de nosso dia, dificultando nosso desejo de gerar impacto e bons resultados.

Uma prática que aderi, já há algum tempo, foi o “cadeado de agenda”. A ideia é trancar determinados horários para a prática de atividades que estão alinhadas com minhas metas e propósitos. Escrever este artigo, por exemplo, somente foi possível porque fechei minha agenda, em certos momentos, para este trabalho. Costumo dizer que o que diferencia um mero desejo de uma meta é a existência de um plano de ação para concretizá-la. Quando um cliente me diz, por exemplo, que quer perder peso, ele tem um desejo. Todavia, quando me diz que foi a uma nutricionista, matriculou-se em uma academia e fechou o horário do almoço para se exercitar, ele tem uma meta, e com certeza começou a melhorar sua gestão do tempo!

Deixe seu comentário